Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de maio de 2019.
Dia do Assistente Social.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Alterada em 15/05 às 16h15min

Após ser solto, Temer fala em 'expectativa positiva'

Ex-presidente Michel Temer concedeu entrevista a jornalistas pouco depois de deixar a prisão

Ex-presidente Michel Temer concedeu entrevista a jornalistas pouco depois de deixar a prisão


Miguel SCHINCARIOL/AFP/JC
Estadão Conteúdo
Pouco depois de deixar a prisão, o ex-presidente Michel Temer concedeu entrevista a jornalistas e disse que aguardou com tranquilidade e serenidade a decisão de ontem do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que acolheu pedido de habeas corpus.
O ex-presidente ressaltou também que, quando foi determinada a sua prisão, ele disse que, em obediência, se apresentaria à Polícia Federal. "Foi o que fiz", disse. Ele se despediu dos jornalistas em seguida e afirmou que seu advogado, Eduardo Carnelós, daria mais detalhes sobre o processo. "Minha expectativa é positiva", disse o ex-presidente, antes de sair.
O advogado, por sua vez, disse que tem "absoluta convicção" de que as "acusações serão destruídas", porque não há embasamento "consistente". "Aguardamos que possamos apresentar defesas contra acusações feitas", disse. "A defesa se dará dentro do que prescrevem a Constituição e as leis", acrescentou.
Carnelós também afirmou que não há justificativa para que Temer seja levado à prisão. "A partir do STJ, fica estabelecido que não há fundamento para manter a prisão", disse. "Aguardamos o desenrolar normal dos processos e Temer vai se defender na forma da lei", afirmou.
O advogado não acredita que Temer será preso novamente, após a decisão tomada ontem pelo STJ. "Depois da decisão proferida ontem, não creio que haja uma nova determinação (de prisão), sem que haja fato novo, e não há fato novo a ocorrer", disse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia