Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 15 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Transição no Planalto

15/12/2018 - 21h41min. Alterada em 15/12 às 21h44min

FHC lamenta 'pedras lançadas' antes mesmo de governo Bolsonaro assumir

Ao falar de 'pedras lançadas', FHC se refere às informações do Coaf contra filho de Bolsonaro

Ao falar de 'pedras lançadas', FHC se refere às informações do Coaf contra filho de Bolsonaro


WILSON DIAS/AGÊNCIA BRASIL/JC
Estadão Conteúdo
Em manifestação hoje nas redes sociais, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou lamentar as "pedras lançadas" contra o futuro governo de Jair Bolsonaro antes mesmo da posse e afirmou que, sem credibilidade, não será possível reconstruir o País.
"Diariamente há pessoas acusadas de corrupção ou mal uso de dinheiro público. Lamento que antes de começar o novo governo pedras sejam lançadas. É preciso verificar, antes de condenar, mas sem confiança e credibilidade impossível reconstruir o País, como a maioria do povo deseja", afirmou Fernando Henrique, pelo Twitter.
As "pedras lançadas" a que o ex-presidente se refere partiram do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que identificou e informou ao Ministério Público Federal (MPF) a "movimentação atípica" de R$ 1,2 milhão entre 2016 e 2017 em uma conta do então assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente eleito, Jair Bolsonaro.
O relatório apontou que uma das transações feitas pelo ex-assessor Fabrício José Carlos de Queiroz foi um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle.
Jair Bolsonaro disse que o dinheiro foi um empréstimo para Queiroz. E Flávio afirmou que não fez nada de errado, nem é investigado, e acrescentou que as explicações cabem ao seu ex-assessor.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia