Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de março de 2019.
Dia do Bibliotecário.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Brexit

Alterada em 12/03 às 12h24min

'É imperativo que entreguemos Brexit ao povo britânico', diz May

Votação do acordo no Parlamento britânico está prevista para a noite desta terça-feira

Votação do acordo no Parlamento britânico está prevista para a noite desta terça-feira


PRU/AFP/JC
Estadão Conteúdo
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, apelou nesta terça-feira (12) ao Parlamento britânico que aprove o acordo de Brexit que será votado mais tarde na Casa.
"É imperativo que entreguemos o Brexit ao povo britânico", disse May, referindo-se ao resultado do plebiscito realizado em junho de 2016, quando a população do Reino Unido votou pela retirada do país da União Europeia. Segundo May, não há sinais de que os britânicos mudaram de ideia em relação ao Brexit desde então.
Nessa segunda-feira (11) à noite, May obteve garantias de valor legal da UE no que diz respeito à questão mais polêmica do acordo, o chamado "backstop irlandês".
Mais cedo, porém, o procurador-geral do Reino Unido, Geoffrey Cox, avaliou que o acordo revisado não garante ao Reino Unido meios legais de sair unilateralmente do backstop se surgirem "diferenças irreconciliáveis". "O risco legal (para o Reino Unido) permanece inalterado", disse Cox.
A premiê comentou, porém, que preocupações sobre o backstop se reduziram com o novo acordo, como admitiu o procurador-geral.
Para May, o acordo proposto é "bom" e, se for rejeitado, as incertezas continuarão e o Brexit "poderá se perder". "O Parlamento tem a escolha de apoiar o acordo ou se arriscar a não ter Brexit", argumentou.
May disse ainda que não há garantias de que a UE aprovará o eventual adiamento da data para a implementação do Brexit, marcada para o dia 29. Se o acordo for reprovado hoje, os parlamentares deverão votar a possibilidade de um Brexit sem acordo amanhã. Se esta opção também for rejeitada, o Parlamento decidirá na quinta-feira sobre a possível extensão.
A votação do acordo no Parlamento britânico está prevista para a noite desta terça.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia