Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de fevereiro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

Alterada em 08/02 às 14h33min

Bndes diz estar pronto para ajudar na redução do papel do Estado na economia

Levy ressaltou que banco ganha mais importância na vida do País nesse processo

Levy ressaltou que banco ganha mais importância na vida do País nesse processo


DANILO UCHA/JN/ARQUIVO/JC
Estadão Conteúdo
O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), Joaquim Levy, disse nesta sexta-feira (8) que o banco está pronto para ajudar o governo a levar adiante o projeto de reduzir o papel do Estado na economia. Ele lembrou a recente venda das distribuidoras deficitárias da Eletrobras, no ano passado, como exemplo de sucesso.
"(A ideia é) passar ativos que possam ser mais bem operados pelo setor privado e dar esse ímpeto da retomada do governo na economia", disse Levy na abertura do evento sobre desestatização que está sendo realizado na sede do Bndes, no Rio, do qual participa também o ministro da Economia, Paulo Guedes.
Segundo Levy, a expectativa é que nos próximos cinco anos se veja "mudanças positivas nessas distribuidoras", afirmou, em relação à venda de distribuidoras do Amazonas, Piauí, Alagoas, Rondônia, Acre e Roraima, privatizadas no ano passado.
Levy ressaltou que o banco ganha mais importância na vida do País nesse processo e que é papel da instituição coordenar, cooperar, guiar os parceiros nesse processo de relacionamento institucional.
"O papel institucional do Bndes se torna ainda mais importante quando o governo federal opta pela diminuição do Estado. A venda de ativos não visa só a financiar a dívida, mas ter mudança real de como a economia funciona", disse Levy.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia